Em Florianópolis a recomendação para o uso foi pioneira no Brasil

Desde o dia 16 de abril, o uso de máscaras de pano se tornou obrigatório na Capital. A Secretaria de Saúde de Florianópolis informa que, mesmo que o principal motivo para o decreto de uso do equipamento seja a pandemia do novo Coronavírus, as máscaras de proteção, de tecido, ajudam na prevenção de outras doenças transmissíveis respiratórias.

“Vivemos há pouco tempo um surto de sarampo em Florianópolis e outras cidades do Estado. É uma doença em que a transmissão se dá por meio de contato com gotículas quando uma pessoa infectada tosse, espirra ou respira perto de alguém. Assim como outras doenças respiratórias, que podem ter a transmissão interrompida ou diminuída pelo uso da máscara” explica o secretário Municipal de Saúde, Carlos Alberto Justo da Silva.

>>Quer receber as noticias da Folha de Florianópolis? Entre no grupo Aqui<<

Além do sarampo, as máscaras de pano podem auxiliar à prevenção de outros vírus influenza, o que diminui a demanda do Sistema Único de Saúde (SUS), de Florianópolis. A recomendação para o uso do utensílio em Florianópolis foi pioneira no Brasil, seguindo estudos internacionais.

A população que sentir algum sintoma relacionado ao Covid-19, como febre, tosse, dor de garganta ou falta de ar, deve procurar o Alô Saúde Floripa, no 0800-333-3233, que uma equipe especializada conseguirá dar as orientações necessárias.

Secretaria de Saúde de Florianópolis alerta: não é recomendado o uso de máscara de pano em crianças com menos de dois anos

A Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria de Saúde, recomenda o uso de máscaras de pano para população. O uso é válido para quem não esteja com suspeita, ou confirmação, do novo coronavírus e não seja profissional de saúde em exercício. Dentro das restrições, há outro público que não deve usar máscaras de pano por perigo de sufocamento: as crianças com menos de dois anos.

Caso a mãe, pai ou responsável tenha que levar a criança para alguma atividade, como ida ao mercado ou à farmácia e não puder deixá-la em casa, se recomenda manter a distância de pelo menos dois metros entre as pessoas.

A recomendação não é somente da Secretaria Municipal de Saúde, mas, leva como base a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), Academia Americana de Pediatria.

As máscaras de pano têm provado, segundo estudos recentes, ser uma grande aliada no combate à disseminação do novo Coronavírus. Colocar as máscaras embaixo do queixo, ou mexer nela depois de encaixadas corretamente, não é recomendado.

Para higienização, é preciso deixar a máscara imersa em solução com água sanitária (diluição: 1 parte de água sanitária para 50 partes de água. Exemplo: 10 ml de água sanitária para 500ml de água) por 30 minutos. Antes de reutilizá-la, deixar secar bem. Após lavar a máscara, a pessoa deve higienizar as mãos com água e sabão.