Pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e da Universidade Federal do Rio Grande (Furg) desenvolveram um estudo sobre saúde mental e intervenções psicológicas diante da pandemia de Covid-19. O grupo, que trabalha no desenvolvimento de artigos e materiais informativos para oferecer subsídios à prática de psicólogos no contexto da pandemia, teve seu trabalho publicado nesta segunda-feira, 18 de maio, na revista científica Estudos de Psicologia.

Maior emergência de saúde pública que a comunidade internacional enfrenta em décadas, a pandemia do novo coronavírus traz preocupações não só relacionadas à saúde física, mas também ao sofrimento psicológico que pode ser experienciado pela população em geral e pelos profissionais da saúde envolvidos. Com o objetivo de sistematizar conhecimentos sobre implicações na saúde mental e intervenções psicológicas diante da pandemia de Covid-19, os pesquisadores realizaram uma revisão da literatura técnico-científica produzida em diferentes países. O estudo aborda as implicações da pandemia na saúde mental, a identificação de grupos prioritários e orientações sobre intervenções psicológicas, considerando particularidades da população geral e dos profissionais da saúde. Discute, também, potencialidades e desafios para a prática dos psicólogos no contexto brasileiro durante a pandemia.

Os pesquisadores concluem que a Psicologia pode oferecer contribuições importantes para o enfrentamento das repercussões da Covid-19. “Essas contribuições envolvem a realização de intervenções psicológicas durante a vigência da pandemia para minimizar implicações negativas e promover a saúde mental, bem como em momentos posteriores, quando as pessoas precisarão se readaptar e lidar com as perdas e transformações.”