Maryanne Mattos, Colunista da Coluna da Mulher

Você já deve ter percebido o quanto a solidariedade se multiplica e se faz presente em tempos como estes que estamos passando, né? São diversas as formas de ajudar o próximo que surgiram neste momento e se tornaram uma das principais armas contra o coronavírus. E muitas pessoas pelo mundo todo passaram a olhar para as pessoas que estão ao seu lado, criando iniciativas simples para colaborar e estar perto do outro. Afinal, toda pessoa importa!

E quando se trata de voluntariado, muitas mulheres que conheço tomaram a frente: são líderes comunitárias, artesãs, donas de casa, costureiras… Muitas aprenderam a costurar agora, funcionárias de diversas áreas que, ao perceberem que famílias estavam passando fome e outras dificuldades, moveram céus e terras para unir um exército de homens e mulheres para ajudarem. São campanhas de arrecadação de alimentos para famílias em situação de vulnerabilidade por toda a cidade; distribuição de marmitas e de produtos de higiene; confecções de máscaras para proteção e segurança pessoal; pagamento aos prestadores de serviços, como diaristas e manicures, para que tenham a fonte de renda e se mantenham em casa; preferência ao comprar de pequenos negócios, empreendedores locais ou profissionais informais para movimentar a economia, já que estes tendem a sofrer mais com o fechamento do seu estabelecimento. Além disso, quem não assistiu a alguma live neste período? Artistas de diferentes gêneros musicais pararam o país ao lançarem essa nova forma de fazer show, distrair as pessoas e ainda arrecadar mantimentos, equipamentos de proteção e recursos.

Muito legal ver também a oferta gratuita de serviços, como voluntários que se prontificaram a levar idosos para tomarem a vacina da gripe ou fazer compra em mercados, feiras ou farmácias para os vizinhos do grupo de risco, mais suscetíveis a complicações da doença, que não podem sair; aulas e cursos on-line; psicólogos com consultas para ajudar no controle emocional. Enfim, são muitas ações e peço desculpas para aquelas que não consegui citar.

Há muitas formas para ser solidário neste período. Quem não pode contribuir com dinheiro, ajude divulgando nos seus grupos de WhatsApp e nas suas redes sociais; auxilie com seu tempo: mande uma mensagem para ver se a pessoa está bem e esteja disponível para conversar e ouvir. Pensar no próximo e se aproximar das pessoas é o primeiro passo para enfrentarmos, superarmos e sairmos mais forte. Estamos todos juntos nessa e a solução está na união de todos: a simples atitude de cumprir as regras de segurança pessoal, como uso da máscara, lavar as mãos, passar álcool em gel e só sair se necessário é o maior ato de amor com você e com o próximo.

 

Comunicado da Folha de Florianópolis