Os criminosos anunciavam imóveis para locação e, após as vítimas realizarem o pagamento de um sinal, descobriam que o imóvel não pertencia ao anunciante. Para transmitir confiança às vítimas, os criminosos se passavam por policiais civis e militares de Joinville, inclusive por um Delegado de Polícia.

 

A quadrilha fez vítimas em Joinville, Blumenau, Itajaí, Palhoça e Rio Grande do Sul. Na operação foram apreendidos cartões bancários, aparelhos telefônicos, um veículo Hyundai/I30 e notebooks. Estima-se que o chefe do grupo recebia aproximadamente R$ 20.000,00 mensais com a prática dos crimes.

 

Os criminosos serão indiciados em inquérito policial por associação criminosa e estelionato