Márcia Eufrásio, Colunista de Coluna Mente Saudável

A ciência tem estudado os efeitos positivos da presença de um animal de estimação para a saúde mental das pessoas.
A prova disso é que cada vez mais aumentam a quantidade de cães terapêuticos que atuam em hospitais para ajudar pacientes que sofrem de ansiedade, estresse e que se sentem isolados do mundo e do afeto das pessoas.

Um estudo descrito no Journal od Psychiatric Research, realizado por psiquiatras, da Clínica Médico-Psiquiátrica da Ordem na cidade de Porto, em Portugal, concluiu que adotar um pet pode amenizar as dores de pacientes com depressões que não respondem aos tratamentos médicos convencionais.

No estudo, os médicos selecionaram 80 pacientes diagnosticados com distúrbio depressivo maior (DDM). Nenhum deles havia experimentado algum alívio na depressão mesmo após 9 a 15 meses de tratamento com sessões de terapia e ingestão de medicamentos.

Foi aí que decidiram incluir pets na terapia e estudar como eles poderiam aliviar os sintomas da doença.  Os 80 pacientes foram divididos em 2 grupos: os que aceitaram a presença de
um pet e os que não optaram pelo animal de estimação. As sessões de terapia e os medicamentos ainda faziam parte da rotina de quem optou pelos animais. A pesquisa foi realizada por 12 semana.

Os cientistas observaram que os novos donos de animais de estimação começaram a demonstrar sinais de alívio da depressão em apenas 4 semanas. Dos que aderiram a presença dos pets, 33 obtiveram uma melhora significativa e deste montante mais de um terço não apresentavam mais a doença após 12 semanas.

Por outro lado, 33 pacientes do estudo que não adotaram animais não mostraram ter nenhuma melhora significativa em seus sintomas depressivos. Os autores do estudo afirmaram: “uma das razões que podem explicar os resultados é que os animais de estimação se forçam a neutralizar um dos principais sintomas da depressão que é a incapacidade de experimentar prazer
nas atividades agradáveis como exercícios físicos, hobbies e interações sociais.”

Os cães, além de proporcionar o contato físico e estimular a demonstração de receber e dar afeto, ainda incentivavam os donos a praticar atividades físicas e muitas vezes, contribuia para o contato social.

No entanto, se você gosta de animais, talvez esse seja um estímulo a mais para você adotar. Mas é necessário ter alguns cuidados extras com os animais. Eles devem ser respeitados e tratados como parte da família, devem receber uma boa alimentação, amor e cuidados veterinários.
Manter a higiene do local onde o animal fica, proporcionar água limpa diária e caminhar com eles diariamente faz parte dos cuidados básicos de quem opta conviver ao lado deles.

Por Márcia Eufrásio