Natural de Florianópolis e com 38 anos de trabalho, 31 deles dedicados à magistratura catarinense, o ex-presidente da Corte catarinense também comandou interinamente o Governo do Estado em duas oportunidades. Em 2018, de 15 a 16 de maio e de 26 de julho a 2 de agosto, durante viagem ao exterior do titular, Eduardo Pinho Moreira. O desembargador também presidiu a Associação dos Magistrados Catarinenses (AMC) entre 1999 e 2003, e a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) no biênio 2005-2007.

O desembargador Alexandre d’Ivanenko fez as homenagens em nome da Corte. “O desembargador Rodrigo Collaço sempre desempenhou as suas atividades de forma produtiva no 1º grau de jurisdição. Chegando ao 2º grau, o fez da mesma forma, além de chegar ao cargo máximo do Poder Judiciário catarinense, que foi a presidência do Tribunal de Justiça. Neste período das funções de magistrado em 1º e 2º grau, ele ganhou prestígio nacional. A princípio dirigiu a AMC e, posteriormente, a AMB. O desembargador tem uma carreira só com dados positivos e, com certeza, ele desperta muito orgulho em todos os seus familiares. O desejo é que ele tenha muito sucesso, assim como aconteceu no Judiciário catarinense”, enalteceu o relator.

Rodrigo Collaço iniciou a carreira de magistrado em 1989, como juiz substituto nas comarcas catarinenses de São Joaquim, Urubici e Bom Retiro. Três anos mais tarde, ele foi promovido a juiz de direito e atuou nas comarcas de Papanduva, Palmitos, Porto União, Chapecó, Joinville e Florianópolis. Em 2009 foi promovido ao cargo de juiz de direito de 2º grau, e ingressou no quadro de desembargadores do TJSC em 2012.

Algumas realizações

Implantou o eproc;

Implantou a Business Intelligence (BI);

Implantou o Sistema Eletrônico de Informações (SEI);

Contratou a solução informatizada para Gerenciamento Administrativo Integrado – Enterprise Resource Planning (ERP);

Preenchimento de cargos vagos passou a ser realizado de acordo com dados objetivos;

Uniformizou equipes dos gabinetes de segundo grau;

Equalizou a distribuição da força de trabalho entre primeiro e segundo graus;

Reestruturou o Gabinete da Presidência;

Criou o Conselho Consultivo de Ex-Presidentes;

Criou o Núcleo de Inteligência e Segurança Institucional (NIS);

Reestruturou o Núcleo de Comunicação Institucional (NCI);

Criou o cargo de corregedor-geral do Foro Extrajudicial;

Criou a Diretoria de Suporte à Jurisdição de Primeiro Grau;

Criou a Unidade Regional de Execuções Fiscais Municipais e Estaduais;

Aprovou o Regimento Interno;

Instituiu as audiências por videoconferência e fez investimentos em tecnologia;

Instituiu o dia da prestação de contas do Judiciário.

 

Homenagens

 

“Com mais de 40 anos de amizade, desde o campus da UFSC, posso dizer que sou testemunha de boa parte da sua vida. Como magistrado angariou respeito dos jurisdicionados, advogados, servidores e colegas nas comarcas por onde passou. Rodrigo é dotado de uma inteligência sem igual, talvez moldada no xadrez. Ético, leal e comprometido. Os números estatísticos do CNJ comprovam o sucesso da empreitada.”

Desembargador Gerson Cherem II

 

“Tive a honra de participar da administração do desembargador Rodrigo Collaço e presenciei de perto o seu amor e a dedicação ao Judiciário catarinense e brasileiro. A qualidade do desembargador Rodrigo faz falta à frente de uma de uma entidade associativa a nível nacional. A trajetória de vossa excelência é festejada pela magistratura catarinense e parabéns, pela vitória.”

Desembargador Luiz Cézar Medeiros

 

“Sou testemunha do trabalho de sua excelência e da sua dedicação, enfrentando todas as adversidades e não esmorecendo em momento algum. Simples, humilde e de uma convivência harmônica com todos os poderes, tanto que chegou ao cargo de Governador do Estado. Desejo sucesso na sua nova empreitada.”

Desembargador Roberto Pacheco

 

“Registro aqui os meus cumprimentos em meu nome e do Ministério Público de Santa Catarina. O desembargador Rodrigo Collaço teve uma brilhante carreira e prestou relevantes serviços à sociedade catarinense, ao Poder Judiciário de Santa Catarina e à magistratura brasileira. Deixo meus votos para que a aposentadoria seja repleta de alegrias e de realizações.”

Procurador de Justiça Davi do Espírito Santo

 

“Também gostaria de me somar às manifestações da carreira, da vida pessoal e funcional do desembargador Rodrigo, que hoje se aposenta com um currículo invejável. Galgou todos os cargos da magistratura em Santa Catarina e teve expressão nacional inclusive. Como presidente desta corte honrou todas as tradições da instituição e desejo que tenha pleno êxito nos projetos que tem pela frente.”

Desembargador Pedro Manoel Abreu

 

“Endosso todas as palavras dos desembargadores que me antecederam, porque os desígnios de Deus são insondáveis. Jamais imaginei que administraria o Tribunal de Justiça durante uma pandemia e também jamais imaginei que assinaria a aposentadoria de ilustres colegas e, entre eles, hoje o desembargador Rodrigo Collaço. Ele dobra a sua toga com as mesmas mãos honradas que um dia a colocaram, com a mesma coragem e determinação. O desembargador Rodrigo Collaço honrou a toga e a magistratura.”

Presidente do PJSC, desembargador Ricardo Roesler