Ricardo Oliveira Colunista da Coluna da Poesia

Concede-me um dia apenas,
Para que eu posso te sentir,
E viver acreditando numa única noite,
Que teus lábios vão me chamar.

Nada será como antes,
Por isso não desejo,
Estar longe dos sonhos,
Nem tão perto de minhas vontades.

Teus olhos são como lâmpadas acesas,
Nas madrugadas de minha alma!
É por isso que me tornei um caçador…
Caçador de palavras.

Quando as encontro,
São rimas em meus ouvidos,
E penso nas mãos tão delicadas,
Com que tens aberto as janelas do meu mundo.

Sois um pássaro voando,
Com liberdade de pousar onde queres,
E desnudar de todos os sentidos,
Sem limites para se questionar.

Já me confesso comigo mesmo,
Tentando restaurar quem sou!
Porém, não consigo navegar,
Enquanto eu de ti não me libertar.

Continuo a caminhada,
Sendo dividido em dois.
Uma parte seria o começa da história,
E a outra revela o fim da lógica.

Ricardo Oliveira