DIA SEGUINTE…
No aeroporto de Paris – Charles de Gaulle, Sandra estava esperando para embarcar
no avião. Daniel havia chegado um pouco atrasado, mas ao ver sua amada ou sei lá
o que eram agora, o olhar dela com ódio, e inconformada, foram o suficiente para
dizer sobre todas as coisas, inclusive a palavra distanciamento. Então, a chamada
do voo se deu, e nada mais foi dito. Daniel havia ido direto ao bar France et Luz,
que além de bar, é um restaurante.
DANIEL: – O de sempre, por favor!
Sentado, com o melhor em suas mãos, e sem demora, bebia um Bordeaux
Signatures, vinho branco da Cidade de Bordeaux, fresco, seco e com belas notas
cítricas. O importante, naquele instante, era levar as lembranças até última conversa
com Sandra.
RETOMANDO A LEMBRANÇA
DANIEL MULLER: – Procurei e estou ainda em busca de ajuda, de respostas.
SANDRA LOPES: – Nada faz sentido, Daniel!
DANIEL MULLER: – Eu sei o quanto é difícil, mas ela veio até a redação, perguntou
por mim, e aquele jantar serviu apenas para conversarmos sobre os sonhos. –
Agitado.
SANDRA LOPES: – E como te encontrou?
DANIEL MULLER: – Um anjo, no sonho a guiou.
SANDRA LOPES: – Impossível crer nisso, e precisava ser um jantar?
DANIEL MULLER: – Está com ciúmes?
SANDRA LOPES: – Deveria?
DANIEL MULLER: – Claro que sim, com limites, mas é ser preocupada com o outro!
SANDRA LOPES: – Não dá mais! Para mim, chega!
DANIEL MULLER: – Para onde irás?
SANDRA LOPES: – Madrid! Eu vou dormir.
DANIEL MULLER: – Vou logo em seguida!
Sandra então foi adormecer, mas Daniel, acabou ficando no sofá ao invés de ir para
seu quarto.
DE VOLTA AO FRANCE ET LUZ
DANIEL MULLER: – Ainda bem que tenho consulta marcada para amanhã, se não,
eu iria surtar!
Muitas complicações estão sendo um caos na vida de Daniel, e Sandra,
logicamente, também não está suportando. Não é de hoje, a vivência, a relação
entre os dois vem sendo afetada.