AINDA NO PARQUE
AMÁLIA OLIVIER: – É inacreditável! Um anjo de verdade!
DANIEL MULLER: – Uma loucura, quer dizer!
AMÁLIA OLIVIER: – Devemos abrir a caixa?
DANIEL MULLER: – Se queremos saber, devemos!
AMÁLIA OLIVIER: – Antes de tudo, antes de abrirmos, eu gostaria de te agradecer!
DANIEL MULLER: – Pelo o que?
AMÁLIA OLIVIER: – Por me receber, por me ouvir, pelo jantar!
DANIEL MULLER: – Obrigado por suas palavras!
Amália vai se achegando mais próximo de Daniel e tenta beijá-lo, mas Daniel se
afastou de imediato, evitando que acontecesse.
AMÁLIA OLIVIER: – Por que se afastou?
DANIEL MULLER: – Não me entenda errado o que vou dizer!
AMÁLIA OLIVIER: – Não precisa, eu sei bem! Aquela mulher do jantar!
DANIEL MULLER: – Sandra, é ela sim!
AMÁLIA OLIVIER: – Deixemos para lá, e vamos ao que interessa!
DANIEL MULLER: – A caixa! Temos que abri-la!
Os dois então abriram a caixa, e dentro dela existia um livro antigo, paginas
amareladas pelo tempo, capa de couro trabalhado, tendo a imagem um casal. O
livro estava fechado por uma corda fina, e todo ele era costurado.
AMÁLIA OLIVIER: – Estou curiosa!
DANIEL MULLER: – Eu também!
AMÁLIA OLIVIER: – Qual será o seu conteúdo?
DANIEL MULLER: – Tenho até medo de saber!
AMÁLIA OLIVIER: – Vamos conferir, nós dois juntos!
Juntos os dois abriram a livro e nele estava fotografias colocadas nas páginas e em
cada canto anotações faziam parte. Um diário, para ser mais exato. Ali, poderia
estar contido algo que os ligavam um ao outro.
DANIEL MULLER: – Como faremos para ler os dois?
AMÁLIA OLIVIER: – Eu poderia ler primeiro, e depois te entrego! Pode ser?
DANIEL MULLER: – A vontade Amália!
AMÁLIA OLIVIER: – E sobre o beijo que tentei te dá, esquece!
DANIEL MULLER: – Fico feliz por ter compreendido! Talvez nossa relação no
passado não deva ser de alguém que se apaixonou.
AMÁLIA OLIVIER: – Você tem razão.
Daniel deu uma carona a Amália, depois cada um tomou o seu rumo.
Muitos segredos se escondem no livro.