Existentemente em ti, a sabedoria que compõem o tempo e o espaço. Não é porventura, a
alacridade, de certa forma, a manter a tênue verdade dos seus mistérios humanos? Que voz
espetaculosa, demonstra tanta afinidade com o EU interno a externar para fora, um grito de tão
formosa beleza! Então, as águas de rosas, são partes nítidas do transparecer da alma, da mente e
do coração, a qual, se deixa viver a eternidade sem conhecê-la.


A ponte a levar a todas as cerejeiras deste mundo, atrelam-se ao fato de seres semente,aos que
não conseguem parar te ouvir. Nisso, percebe-se não haver rupturas do velo di innocenza, dos
quais são preservados no mais profundo dos oceanos: os olhos. Eles são aberturas intensas do
que vem a ser substancial. Sim, envolvida por uma substância naturalizada, é a fonte da revelação
inesgotável das buscas por diversos modos de enxergar a vida.
Como não ficar manhãs tentando escutar palavras e significados, verbalizados com tal sintonia?

Preferia evitar essa indagação, mas ao invés disso, compreender a sonoridade de algo
exclamativo. Ir além do que se pode transcrever, caminhar pela vastidão das campinas dos teus
segredos. Talvez, o lampejo de insensatez, seja o livro inédito, a escrever como poema narrativo
de uma história, a ser lembrada por meio de tantas lascas sentimentais. Interpelo então, a
liberdade única de poder ser sincero, enquanto ainda possa ter durabilidade.


De que adianta ter noites de sono, se não tem um pouco de graciosidade vinda simultaneamente
com os teus encantamentos ao sorrir sem parcialidade? Não obstante a declaração, é a falta
assombrosa da coragem! Esta que faz sentir l’amore consuma presente nos simples frascos de
perfume Benetton. Possuis veemente, uma força independente, a qual se lança sempre a frente
de si, tendo a destreza da volontà femminile.
Exaustivamente, vou entrando por uma rua sem perspectiva e, contemplo a fresta de uma porta.


Lá, deve conter traços da imagem do subconsciente, seja criada ou não, de estar contigo em um
lugar tão sublime e relevante, onde minhas mãos se levantam, somente na altura do queixo. Nisso
tudo, com o dedos, ergue-se o bacio indescrivibile, numa onda de magnetismo inspirador.
Contudo, a informatore della notte, dançando com a dualidade, inveja o sol, fazendo-me voltar.
É a plenitude dos meus sintomas, que permite a breve ansiedade de querer tomar um expressivo


Villa Diamante, transformando meu momento em sinfonias tocadas por Beethoven. Sim, de
Mendoza, Argentina, a pureza do Malbec – Cabernet desse céu imprevisto seu. Desço num
constante universo de esperança com que me toma a necessidade de apenas transmutar a
monotonia em agitação ao correr pelas cidades italianas.


Vivi con te in tutto il tuo modo di contemplare la scena poetica. [Viver contigo em toda a sua
forma de contemplar o cenário poético], consiste em me arrastar para a luminosidade da
realização do futuro apropriado. Somente tenho a dizer: -Quem sabe, quem sabe! Enquanto todas
as coisas não passam de poeiras num sonho, é benéfico ver-te na minha distância segura. E
pensar no minuto como se isso fosse horas.