O Ministério da Saúde revelou um boletim epidemiológico sobre o HIV/AIDS em todo o país. O documento mostrou que Florianópolis caiu da primeira capital em taxa de detecção do vírus no país, para a 5° posição neste ano. O dado demonstra redução de 17% de casos novos.

Os números também demonstram que a cidade está testando cada vez mais para a doença. Para isto a Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria de Saúde, oferece em todas as suas unidades testes rápidos para HIV. Também é possível fazer a retirada de autoteste para HIV no armário digital na rodoviária ou pelos Correios, por meio do site https://www.ahoraeagora.org/. Somente de maio até agosto deste ano foram 510 testes de HIV distribuídos no endereço que a pessoa escolheu.

Outro importante dado pontuado pelo boletim é de que a Capital está em 11° lugar no coeficiente de mortalidade entre as capitais brasileiras a cada 100 mil habitantes. No ano anterior a posição da cidade era a 8°.

Florianópolis melhorou em outro indicativo, que considera a taxa de detecção, taxa de mortalidade, taxa de detecção em menores de cinco anos, e a média do primeiro exame de cd4 que são células de defesa do sistema imune. Nestes dados Florianópolis passou da 6° para a 14° posição.

Prevenção combinada auxilia nos dados

Assim como a camisinha, que é distribuída em todas as unidades de saúde da cidade, há novas estratégias que compõem a prevenção combinada ao HIV. São elas a PREP, a PEP, a testagem ampla e facilitada e o tratamento com antirretrovirais.

A prevenção combinada é uma nova estratégia de prevenção, sucesso em diversas cidades mundiais, que entende que a melhor forma de prevenção é a escolhido pela pessoa e que um método usado isoladamente (ex. somente a camisinha) não é suficiente para vencer o avanço de novos casos.

Em todos os Centros de Saúde de Florianópolis e nas Unidades de Pronto Atendimento, UPAS 24h, é possível acessar a PEP, Profilaxia Pós-Exposição, que são os medicamentos antirretrovirais para pessoas que tiveram um potencial contato recente com HIV. Há também a oferta da PrEP, Profilaxia Pré-Exposição, na Policlínica do Centro, que é quando as pessoas com maior risco de infecção pelo HIV tomam um medicamento diário para prevenção do HIV.

No Município é possível também fazer testes para outras Infecções Sexualmente Transmissíveis em toda rede de saúde municipal.

A Secretaria de Saúde reconhece que ainda há desafios para o combate ao vírus na cidade, mas vem desenvolvendo projetos, dialogando com a sociedade civil e a comunidade, capacitando equipes e implementando novas tecnologias para que a infecção seja cada dia mais controlada na cidade. Além do controle da infecção, as equipes trabalham para que pessoas vivendo com HIV possam conviver da melhor forma possível com o vírus e aumentar sua qualidade de vida. Infelizmente , o pior sintoma que as pessoas que vivem com HIV enfrentam continuam sendo o estigma, o preconceito e a desinformação por parte da sociedade.

A administração municipal orienta que, sempre que preciso, a população entre em contato com a sua equipe de saúde pelo link: https://sus.floripa.br/contatoscs/ ou com algum dos Centros de Testagem de Resposta Rápida pelos números: Centro (48) 99121-5517, Continente (48) 99959-3242, Sul (48) 99603-4203 e Norte (48) 98849-4499. Desta maneira é possível se informar sobre HIV/AIDS, tratamentos ou testes, por exemplo.