Eu te confessei,
Todas as verdades,
Dos quais me dou,
Por lealdade.

Entendendo o seu mundo,
Como sonhos de verão,
Não será tão absurdo,
Os sentimentos em questão.

Pois sempre estarei,
Desejando os teus versos,
Quando falarem dos inversos,
De quem por ti quer a paz.

Enviarei ml versões,
De mim mesmo aqui!
Neste lugar de encanto,
Só para te ver sorrir.

Não sabes o quanto,
Tenho guardado as revelações,
Ocultando-as do universo,
Também de belas canções.

Embriago-me no torrencial,
Banho de pétalas de rosas,
Que imagino ao longo do caminho,
Ser a tempestade de se amar sem demora.

Vejo as passagens,
A qual o tempo se submete,
Em minhas saudades,
Estão o seu rosto na memória.

Encharcar-me-ei intensamente,
O espírito vir a se rebelar,
Contra esta tenuidade,
Capaz de me deixar levar…

Em todas as nuances,
Tenho estado paralisado,
Tocando com a mãos,
O sentido de ter tantas vontades.