Na manhã do último sábado, 26/12, o Instituto Australis recebeu um acionamento do encalhe de um filhote de cachalote (Physeter macrocephalus) em Garopaba em Santa Catarina. O atendimento foi realizado pela equipe do instituto, que é responsável pela execução do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) na região.

Na avaliação, macroscópica, da necropsia do filhote de baleia cachalote (Physeter macrocephalus), que encalhou, no sábado 26/12, em Garopaba, os veterinários da UDESC observaram um grau de afogamento grave, e a causa mortis pode estar relacionado a esse fato.

Porém, amostras biológicas foram coletadas e passarão por análise laboratoriais. O animal, se tratava de uma fêmea neonato, mediu 3,70m e pesou pouco mais de 500kg e foi transportado até a base da Unidade de Estabilização de Fauna Marinha, UDESC, na cidade de Laguna, com o carro do Monitoramento de Praias.

A retirada do animal da praia, contou com o apoio do Corpo de Bombeiros que faz parte do Protocolo de Encalhes da APA da Baleia Franca. O PMP-BS é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal, conduzido pelo Ibama, das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural na Bacia de Santos.

Tem como objetivo avaliar possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos encontrados mortos.

O PMP-BS é realizado desde Laguna (SC) até Saquarema (RJ), sendo dividido em 15 trechos. Atualmente a Univali coordena a Área SP/PR (trechos 01 a 06).