Isabela Toledo Colunista da Coluna de Educação

Durante o mês de janeiro realizei uma consultoria para um grupo de coordenadores pedagógicos com o objetivo de traçarmos um planejamento da sua atuação no cenário da pandemia, visto que em Belo Horizonte ainda seguimos com aulas 100% remotas.

Aulas remotas não são novidade pois estamos vivenciando essa realidade há quase um ano. Porém, iniciar um ano letivo de forma remota é sim novidade e o convite para participar dessa ação foi muito motivador.

E como sempre gosto de compartilhar meu trabalho, deixo aqui um pouco do que foi idealizado e será colocado em prática a partir de segunda-feira, 08 de fevereiro, que é quando iniciam as aulas da instituição. Selecionei alguns pontos que considero os mais importantes. Não será possível colocar tudo em apenas um artigo, então preparei uma série de quatro artigos para falar sobre esse assunto. Este é só o primeiro! Vamos lá?

Reunião de pais para abertura do ano letivo

Essa é uma das ações mais importantes e deve acontecer antes do ano letivo iniciar. As famílias trazem muitas dúvidas e inseguranças sobre esse início. Não importa se já conhecem o sistema remoto. Um novo ciclo está se abrindo e é preciso um ritual para marcar esse início.

Realizar essa reunião antes de começar o trabalho com os alunos mostra organização por parte da equipe pedagógica e cuidado e atenção para com as famílias dos estudantes.

Fizemos um planejamento minucioso dessa reunião! Mas isso é assunto para um outro artigo.

Reunião de professores para acolhida e alinhamento das ações

A equipe docente é peça principal para o sucesso da aprendizagem. São eles que, diariamente, encontram com os estudantes, conversam, escutam, ensinam. Até mesmo as famílias acompanham suas aulas! Por isso essa equipe não pode ser ignorada e o reconhecimento da importância de seu trabalho deve ser bem pontuado. Eles precisam ver e sentir o apoio dos gestores para que realizem um bom trabalho.

O coordenador deve esclarecer todas as dúvidas e oferecer suporte pedagógico e tecnológico, contribuindo com ideias e sugestões para engajamento dos estudantes.

A acolhida precisa ser leve, aconchegante, carinhosa. Uma apresentação musical, uma contação de história, uma dinâmica interessante são ideias para começar com o pé direito!

A palavra dos gestores nesse momento deve sempre de ânimo e estímulo para começar a caminhada. A avaliação do trabalho realizado em 2020 já deveria ter sido feita anteriormente. Não conseguiu fazer antes? Desculpe, mas agora não é o momento! Se o gestor inicia o ano fazendo levantamento de pontos negativos, cobrando posturas e apontando o dedo para as coisas que não deram certo, o resultado será desastroso.

Sabedoria e tranquilidade para falar as coisas certas e no momento oportuno, são habilidades que o coordenador precisa ter. Cuidado para não pesar sua equipe com palavras duras e desanimadoras. Um início deve ser marcado pela alegria do recomeço e pela esperança. A melhoria da equipe é contínua e a administração de tudo isso é a chave de bons resultados.

Evento especial de abertura do ano letivo

Os alunos também precisam de rituais! É muito importante marcar de maneiras especiais os inícios dos ciclos de trabalho.

Isso deve ser feito por segmento e ter uma programação diferenciada. Crianças e adolescentes devem receber o mesmo respeito que temos pelos pais e professores. Eles também trazem dúvidas, ansiedades, medos, desânimos… Devem ser recebidos com muita alegria, receptividade e clareza de como será o trabalho este ano e qual o papel deles nesse processo.

Infelizmente percebo que muitas escolas ignoram esse cuidado e já começam o ano com as aulas e um professor explicando seu conteúdo. Isso muito me entristece. Ainda mais nessa quarentena que já dura quase um ano.

Falamos tanto sobre isso em 2020! O Conselho Nacional de Educação entregou várias orientações. Pedagogos de todo o Brasil falaram sobre a acolhida aos estudantes. Mas na prática muitos se “esqueceram” e já iniciaram o ano com listas de conteúdos, tarefas de casa e distribuição de pontos. Que triste! O aluno é simplesmente jogado novamente no automatismo da escola tradicional e segue como um robozinho fazendo tudo conforme se espera dele.

Por que não fazer algo diferente? Uma recepção interessante com uma atração artística. Uma palavra de conforto que aproxime a escola do aluno. Um “oi” de todos os professores. Ouvir a direção da escola e a coordenação pedagógica também é muito importante. Os alunos também precisam receber estímulo, alegria, perceber que possuem força para continuar on-line e que podem receber o apoio dos educadores. Eles precisam compreender seu papel nesse processo e serem conscientizados sobre a importância do engajamento pessoal.

Esse é o objetivo desse encontro! Isso é respeito pelo estudante e novamente demonstra o quanto a escola se preparou para esse início.

Kit de boas-vindas

Essa é uma opção que envolve algum investimento financeiro e que também não é essencial. Mas, digamos que seria aquilo que chamamos de “uau!!!” – ou seja, um diferencial.

Para os alunos isso pode ser sido feito no ato da concretização da matrícula ou rematrícula. A equipe decide o que oferecer de acordo com o orçamento possível: fones de ouvido para assistir às aulas, garrafinha de água para colocar ao lado do computador e se hidratar constantemente, um mouse pad personalizado. As ideias são muitas e a equipe pode pensar no que seria mais interessante e bacana para os alunos.

Para os professores também é muito importante e atencioso enviar um kit de boas-vindas. Eles podem receber em suas casas.  E o que pode conter nesse kit? Isso vai depender do orçamento e da criatividade dos gestores.

“A educação tem de surpreender, cativar, conquistar os estudantes a todo momento. A educação precisa encantar, entusiasmar, seduzir, apontar possibilidades e realizar novos conhecimentos e práticas. O conhecimento se constrói com base em constantes desafios, atividades significativas que excitem a curiosidade, a imaginação e a criatividade.”

José Manual Moran

Não perca os próximos artigos da série “O home office do Coordenador Pedagógico”:

– As primeiras semanas de aula;

– Avaliação diagnóstica dos estudantes;

– O dia a dia do coordenador e suas habilidades essenciais.