Um homem e uma mulher foram condenados a 18 anos de prisão cada por homicídio triplamente qualificado, em sessão do Tribunal do Júri da comarca de Urussanga. O julgamento, presidido pelo juiz Roque Lopedote, aconteceu na última quinta-feira (11/2), na sede do Batalhão de Polícia Militar de Urussanga – o local foi fechado ao público e respeitou todas as medidas sanitárias e de segurança. Para evitar aglomeração no interior do prédio, o sorteio dos jurados foi promovido na área externa.

Segundo a denúncia, o crime aconteceu em junho de 2019 no bairro Estação, na cidade-sede da comarca, quando um suposto mandante teria solicitado aos réus que executassem a vítima  por conta de uma dívida de drogas. No local do crime, o homem teria desferido diversos golpes de faca contra a vítima, enquanto a mulher teria prestado suporte de apoio e vigilância no local. As facadas causaram traumatismos no pescoço e nos órgãos intratorácicos, que foram a causa da morte da vítima. 

O Conselho de Sentença reconheceu que o crime foi praticado por motivo torpe, meio cruel (21 facadas) e recurso que dificultou a defesa da vítima, que foi atacada de surpresa e também estava sob efeito de crack. A dupla foi condenada por homicídio triplamente qualificado à pena individual de 18 anos de reclusão, em regime inicial fechado. Os réus já estavam presos e a eles foi negado o direito de recorrer em liberdade. O suposto mandante do crime responde a acusação em processo separado. Cabe recurso da decisão