O governador Carlos Moisés participou do debate em torno da vacinação contra a Covid-19, que reuniu chefes de Estado integrantes do Fórum de Governadores e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. O encontro foi via webconferência, na tarde desta quarta-feira, 17. Se o cronograma do Ministério da Saúde, apresentado na reunião, correr dentro do previsto, até junho deste ano, cerca de 40% da população catarinense poderá estar vacinada.

Aos governadores, o ministro afirmou que a previsão é vacinar 100% da população brasileira que está nos grupos prioritários do Plano Nacional de Imunização(PNI) até o mês de junho de 2021. 

De acordo com o governador, em Santa Catarina, o número previsto pelo MS corresponde a uma população de pouco mais de 2,8 milhões de habitantes. “A vacina é nossa pauta principal e o Estado, como já vem fazendo, está pronto para distribuir as doses a todos os municípios, tão logo elas cheguem a Santa Catarina. Preparamos toda a logística com planejamento e bastante antecedência para que neste momento tão importante no combate à pandemia, os catarinenses, em todas as regiões, tenham acesso à vacina”, afirma Carlos Moisés.

Durante a reunião, o ministro Eduardo Pazuello também garantiu que todos os leitos de UTI habilitados para o tratamento da Covid-19 serão devidamente pagos. E que serão habilitados tantos quantos forem necessários, para atender os brasileiros que precisarem. 

Vacinação no Brasil

Com base nos cronogramas de vacinação, o ministro informou aos governadores que até o fim de 2021, o Brasil poderá ter disponíveis, cerca de 454 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19. Pazuello reforça que se trata de uma previsão, e que tudo precisa ocorrer dentro do planejado.

Na webconferência, o ministro elencou o número de doses de vacinas, que podem ser adquiridas pelo ministério e entregues aos estados. Pela previsão do Ministério da Saúde, somente da Coronavac, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório Sinovac, a expectativa é distribuir cerca de 100 milhões de doses até setembro deste ano.

“Temos uma previsão fantástica de chegada de doses e não mediremos esforços para que ela se mantenha, trazendo a vacina para todos os brasileiros”, reitera. Os imunizantes que estão no radar do MS, contemplam diversas vacinas com eficácia comprovada contra a Covid-19.

Prioridade é o SUS

O ministro Eduardo Pazuello ressaltou que o SUS deve coordenar todo o processo de imunização no país. “Qualquer alternativa que venha ser utilizada para a aquisição de doses será para atender o PNI (Plano Nacional de Imunização)”, frisa o ministro. Para Pazuello, essa é uma forma de garantir tratamento igualitário aos estados, municípios e a toda a população, com relação ao acesso à vacina contra o novo coronavírus.

Em sua fala, o ministro também disse que a união de todos fortalece a luta contra o coronavírus. “Temos um inimigo comum e ele não é político. Precisamos estar unidos para vencer a Covid-19”, conclama. O ministro enalteceu o trabalho de profissionais de saúde na missão de salvar vidas nos estados e municípios do Brasil.