No instante em que te procuro,

Vens ser desejosa de minha alma.

Uma loucura de sensações,

Em que não me traz malefícios.

Só uma enxurrada de canções!

Cujo som me entorpece.

Por mil vezes mais,

Sou um pouco de teu vestígio.

E nada além das muralhas,

É mais encantador que as visões…

De um imaginar contigo,

Nas estradas fora do meu normal.

Meu normal é a razão!

Esta que me despreza,

Por estar se aliando ao coração,

Que verdadeiramente não presta.

Por que és assim meu espírito,

Absoluto em si mesmo?

O que revelas não ter,

Vou assim me perdendo