ANO ATUAL, 2020 – CIDADE DE LOBOS

Matias German: – Aonde vai?

Juan Pablo: – Vou sair, ver pessoas novas!

Matias German: – E saberá se controlar?

Juan German: – Sei que estou tentando, mas sim, vou!

Matias German: – Até sei onde!

Juan Pablo: – Logo voltarei.

Juan Pablo foi ao Museo Y Biblioteca Juan Domingo Perón, e se habilitou para trabalhar como voluntário. Enquanto via alguns livros da fundação da Cidade, se distraiu, esbarrando em uma mulher cuja pele, cabelos e tudo o mais, eram tão diferentes dos quais nunca havia visto. Morenos e ondulados, cada fio vinha como se fosse o seu sangue correr desesperadamente pela sua veia, e todo o corpo desejasse responder. Com uma blusa vermelha, calça jeans azul claro, traduzia o passado?

Ayala Monterrey: – Desculpe-me!

Juan Pablo: – Eu que tenho que pedir desculpas, estava distraído.

Ayala: – Você é novo na cidade?

Juan Pablo: – Sim! Eu e meu irmão.

Ayala: Sejam bem vindos, então! Estendendo a sua mão.

Ao tocar na mão de Ayala para cumprimentar, o coração bombeava fluídos constantes. Não sabia o que estava acontecendo, mas a queria como nunca. Sensações e sentidos não faziam nenhuma lógica. Algo estava errado, ou surgindo de um mistério sem igual.

Juan Pablo: – Obrigado! Sou Juan Pablo!

Ayala: – Ayala Monterrey!

O sorriso dela o descontrolava, mas não desejava machucá-la. 

Ayala: – Veio ver algum livro específico!

Juan Pablo: – Trabalha aqui?

Ayala: – Sim, eu trabalho.

Juan Pablo: – Voluntariei-me para trabalhar aqui também. Sorria devagar, sem abrir os lábios.

Ayala: – Talvez eu possa te ajudar.

  De certa forma, a ligação entre eles iniciava numa fase interessante. O que pode haver nessa história?