Um levantamento do Programa da ONU para o Meio Ambiente (PNUMA) trouxe um dado preocupante para a segurança alimentar mundial: quase 1/5 de todos os alimentos disponíveis para os consumidores em 2019 foi para a lixeira de residências, varejistas, restaurantes e outros serviços alimentícios. Ou seja, mais de 930 milhões de toneladas de comida foram desperdiçadas pela humanidade, o equivalente a 23 milhões de caminhos de 40 toneladas totalmente carregados, o suficiente para dar a volta na Terra sete vezes.

O desperdício foi generalizado, independente do nível de renda e em quase todos os países. A maior parte desse lixo é proveniente do consumo doméstico, que descartou 11% do total de alimentos disponíveis. Os serviços de alimentação e os pontos de venda perderam 5% e 2%, respectivamente. Globalmente, foram jogados fora 121 quilos de alimentos por pessoa naquele ano, sendo a maior parte pelas residências familiares.

“Reduzir o desperdício de alimentos cortaria as emissões de gases de efeito estufa, desaceleraria a destruição da natureza por meio da conversão de terras e poluição, aumentaria a disponibilidade de alimentos e, assim, reduziria a fome em um momento de recessão global”, disse Inger Andersen, diretor-executivo do PNUMA. “Se quisermos levar a sério o combate às mudanças climáticas, perda de natureza e biodiversidade, de poluição e resíduos, empresas, governos e cidadãos em todo o mundo têm que fazer sua parte para reduzir o desperdício de alimentos”.