Já estando em casa, Juan Pablo encontra Matias bebendo.

Juan Pablo: – O que pensa que está fazendo?

Matias German: – Do que está falando?

Juan Pablo: – Da mulher que matou!

Matias German: – Ah! Não sei do que está falando.

Juan Pablo: – Você não pode reviver novamente a mesma coisa! Tem que se controlar.

Matias German: – Eu sei…e você? Se controla?

Juan Pablo: – Assim como você, tento!

Matias German: – Já caçou?

Juan Pablo: – Sim! O bastante!

Matias German: – Como lidará com o fato de não poder ficar com Ayala!

Juan Pablo:  Problema meu!

Matias bêbado, joga a taça na parede.

Matias German: – Errado, irmão! Problema nosso. Chateado e com raiva.

Juan Pablo: – Eu não te entendendo! Por que se importar?

Matias German: – Importo com a nossa sobrevivência.

Juan Pablo: – Ainda me culpa por amar ela?

Matias German: – O que acha?

Juan Pablo chega perto do irmão e o abraça.

Juan Pablo: – Ela me amou primeiro! Não planejei nada.

Depois se afasta e vai descansar da noite cheia que teve.

CASA DE AYALA

Deitada, Ayala pensava em Juan Pablo, e como ele a fez se sentir importante, protegida, diferente, com sentido para viver, do jeito que nunca sentira antes. Desde o acidente, andava sem rumo algum, agora, tinha alegria.

Ayala: – Juan! Disse encostando os próprios dedos nos lábios. 

O dia clareou em Lobos, então tudo era felicidade. Ao escutar as batidas na porta, Matias German abriu, já tendo a expressão de não surpresa em seu rosto.

Matias German: – Bom dia para você Ayala!

Ayala: – Bom dia Matias! O Juan está?

Juan Pablo: – Já estou descendo.

A raiva de Matias contra o irmão, ou pode colocar alguém em perigo, ou fazê-lo amar novamente.