O delegado Alexandre Saraiva, da Polícia Federal, preparou uma notícia-crime de 38 páginas enquadrando o ministro Salles, o presidente do Ibama, Eduardo Bim, e o senador Telmário Mota (Pros-RR) em crimes ambientais, organização criminosa e advocacia administrativa.

Recentemente a PF apreendeu cerca de 200 mil m3 de toras de madeira recém cortadas na Operação Handroanthus. Salles foi pessoalmente ao local da apreensão para declarar que tinha visto alguns dos documentos da madeireira e se disse satisfeito e prometeu liberar a carga. Na sequência, o presidente do Ibama também entrou protegendo a madeireira.

Jorge Pontes, na Veja, escreve: “Parece que o tipo penal previsto no Art. 69 da Lei 9.605/98 (obstar ou dificultar a ação fiscalizadora do poder público no trato de questões ambientais) foi elaborado sob medida para Salles.” O blog de Camila Mattoso, na Folha, cita um trecho do documento onde Saraiva diz que Salles dificulta fiscalização ambiental e patrocina interesses privados.