Palhoça fará a reinauguração do revitalizado Mercado Público Municipal neste sábado (24), às 9h, em mais uma ação de celebração do aniversário de emancipação política e administrativa do município.

“Que recebe as notícias no WhatsApp? Entre no grupo AQUI


O prédio do Mercado Público foi construído na década de 1950, a pouco mais de cem metros da Praça Sete de Setembro, no Centro Histórico do município. É um marco importante da história de Palhoça, pois conserva traços da cultura e da arquitetura açoriana. “O Mercado Público Municipal é um local histórico, e com a revitalização nós estamos resgatando nossa história e nossa cultura. O Mercado Público sempre foi um local de convivência da nossa população, e nós queremos que volte a ser uma referência para os palhocenses”, afirma o prefeito Eduardo Freccia.


O prédio foi todo reformado e a iluminação de destaque foi renovada. “Durante a noite, o Mercado Público vai ser uma atração à parte”, destaca a secretária de Administração, Cristina Schwinden.


A Secretaria de Administração realizou uma concorrência pública para a concessão do direito de utilização dos espaços destinados ao comércio. Dos cinco espaços comerciais disponibilizados, apenas um ainda não foi licitado – o box 7, onde deverá funcionar uma peixaria. Os outros quatro espaços já estão definidos: o box 1 vai vender sorvetes e açaí; o box 3 será uma pastelaria e também venderá caldo de cana; o box 4 será uma verdureira, com hortifrutigranjeiros e orgânicos; e o box 5 será um café e choperia, também com a venda de sucos e cervejas.


A concessão para a exploração comercial dos boxes foi feita por meio da seleção da “maior oferta financeira pela aquisição do contrato de concessão de uso a título oneroso”, segundo consta no edital de aviso de licitação – concorrência pública número 39/2020. “A concessão do Mercado Público faz parte do programa Palhoça Mais Eficiente, que permite melhorias em serviços e obras por meio do fomento ao investimento privado em projetos públicos, com soluções inovadoras e eficientes. Neste caso da concessão do mercado municipal, estamos promovendo a gestão do espaço público pelo setor privado”, explica a secretária.


Os outros dois boxes serão destinados à administração municipal. Um deles será utilizado permanentemente pela Secretaria da Fazenda, como um local onde o cidadão vai poder ter acesso aos serviços pertinentes à pasta; o outro será utilizado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, e deve funcionar como um centro de exposições culturais e de comercialização de artesanato, onde serão expostos trabalhos realizados por participantes dos cursos da Casa da Cultura e das Escolas Profissionais, além dos produtos de outras entidades com atuação semelhante, como a Feira da Economia Solidária.