O potencial de gerar riquezas e atrair investimentos do Rio de Janeiro foram temas, na última quinta-feira (22/04), de uma audiência pública da Comissão de Tributação, Controle da Arrecadação Estadual e de Fiscalização dos Tributos Estaduais, da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). De acordo com projeções da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, o estado deve atrair investimentos da ordem de R$ 150 bilhões nos próximos anos.


A meta para o Governo do Rio é dotar o estado de agenda de longo prazo, de uma política de desenvolvimento baseada em informações qualificadas, de uma economia sustentável, inclusiva, conectada, justa, geradora de riqueza, de oportunidades, empregos qualificados, renda e qualidade de vida em todo o território fluminense – explicou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Leonardo Soares.


Um dos potenciais mais rentáveis em que a pasta acredita é o Porto do Açu (foto). O empreendimento localizado na cidade de São João da Barra, no Norte do estado, deve gerar cerca de R$ 12,5 bilhões. Soares descreveu, ainda, como foi desenvolvido o plano de desenvolvimento econômico do Rio de Janeiro.


– Para alcançar esse cenário, a secretaria mapeou e vai executar ações para retomar a capacidade do estado de atrair empresas e indústrias de diferentes setores, especialmente os que são nossas vocações notórias. Vamos consolidar o Rio de Janeiro como o hub energético do Brasil e garantir que o estado tenha um ambiente de negócios moderno, que contribua para a atração e prosperidade de empresas de todos os portes que, juntas, são a força do desenvolvimento econômico sustentável do estado – detalhou o secretário.


Diálogo e trabalho em conjunto


Para o presidente da Comissão de Tributação, deputado Luiz Paulo (Cidadania), é importante ter uma estratégia de desenvolvimento fluminense.


– Fico feliz que o secretário, em pouco tempo de gestão, tenha feito um arcabouço de um plano de desenvolvimento para o estado, traçando as linhas centrais – comentou Luiz Paulo.


Já o presidente da Alerj, deputado André Ceciliano (PT), destacou que o trabalho precisar ser em conjunto com a sociedade.


– Fiquei bem impressionado com o que foi feito em poucos meses. Pensar a indústria 4.0 junto às nossas universidades e instituições de pesquisa é um caminho para melhorarmos muito – frisou Ceciliano.


Investimentos: leilão de saneamento é aposta do Governo


Grande parte dos investimentos virá de concessões de vias e parceria público-privada (PPP), segundo o secretário Leonardo Soares, que cita também a concessão dos serviços de saneamento. Com o leilão, a ser realizado no fim deste mês, o Rio de Janeiro terá um novo cenário nos quesitos ambientais e de saneamento básico. 


– Este é o maior projeto de infraestrutura do Rio de Janeiro e do Brasil, que, além de atrair empresas nacionais e internacionais, vai garantir que mais pessoas tenham acesso ao tratamento de água e esgoto. Os impactos serão sentidos por gerações. Serão cerca de 12 milhões de pessoas beneficiadas, em todo o Estado do Rio, com melhorias na saúde, geração de empregos, investimentos no meio ambiente, aumento a arrecadação tributária, turismo e valorização imobiliária – ressaltou o secretário.


Entre as vias a serem concedidas está a RJ-244, que liga Campos dos Goytacazes a São João da Barra, na região Norte do estado. 


– Previmos um pacote de concessão de rodovias estaduais com investimento de R$ 1,7 bilhão. Também está nos planos da pasta o Programa de Revitalização e Incentivo à Produção de Campos Marítimos, que pretende revitalizar poços maduros de petróleo – finalizou Soares.