Capítulo 7: PARIS, CIDADE DE SONHOS

BIBLIOTECA

Ayala: Posso ajudar!

Ian: -Pode sim! Você deve ser Ayala.

Ayala: -Sim, eu te conheço? Incomodada.

Ian: -O original.

Ayala deu um salto para trás, e tentou correr, mas Ian a puxou para si, e a fez adormecer em seus braços. A retirou do local, levando-a para a sua casa. Quando a fez despertar, ela se viu presa a uma cadeira.

Ayala: -O que quer?

Ian: -Então foi por você que os irmãos se apaixonaram! Não é a primeira vez, você é muito bonita.

Ayala: -Não sabe nada de mim!

Ian: -Sei o bastante. 

Ayala: -Me deixe ir! Tentando se soltar das cordas.

Ian: -Eu percebi o quanto Matias gosta de você, se é que me entende!

Ayala: -Por que tudo isso?

Ian: -Vou te libertar, quando Matias trouxer o Juan, e o medalhão.

Ayala: -É por isso que está aqui? Disse assustada.

Ian: -Para seu bem, espero que me traga o que quero! Abriu o sorriso irônico.

PARIS, FRANÇA

Matias German seguiu até a Ponte Eiffel, na esperança que pudesse encontrar em algum momento o seu irmão. Mas ele não estava. Então lembrou de um lugar em que os dois frequentavam na sua passagem por Paris. Quando estava de saída, alguém surgiu com um comunicado. 

Max Shooter: -Olá!

Matias German: -Quem é você?

Max: -Um mensageiro de Ian!

Matias German: -Faz sentido ele conseguir informações sobre onde eu estaria.

Max: -Ian sabe de tudo, então me pediu para dizer que o tempo está passando!

Matias German: -Vou encontrá-lo!

Max: -Para o bem de Ayla, espero!

Matias partiu para cima de Max, porém, antes que pudesse derrubá-lo, desapareceu. Ian por ser original, sem que desconfiasse, conseguiu a informação de que iria para Paris, entrando na mente do vampiro. Partiu ao bar Rosa Bonheur, no qual em 1820, vinha para se distrair nas noites da bela Paris. Se é coincidência, não se sabe, mas sentado, bebendo, Juan Pablo se encontrava em sua negação.

FIM!