A sonda Juno da NASA deu um zoom a apenas 645 milhas (1.038 quilômetros) do enorme satélite de Júpiter, Ganimedes , que é maior do que o planeta Mercúrio. Foi o mais próximo que qualquer sonda chegou de Ganimedes desde maio de 2000, quando a espaçonave Galileo da NASA chegou a cerca de 620 milhas (1.000 km) da superfície gelada da lua.

“Que recebe as notícias no WhatsApp? entre no grupo AQUI

Uma das imagens, tirada pelo instrumento JunoCam , mostra quase um lado inteiro do Ganimedes craterizado, que se acredita abrigar um enorme oceano de água líquida sob sua casca de gelo. (Esse oceano está provavelmente imprensado entre duas camadas de gelo, no entanto, por isso não é tão astrobiologicamente interessante quanto os mares subterrâneos da lua Europa de Júpiter e do satélite de Saturno Enceladus. Esses outros oceanos enterrados estão em contato com o interior rochoso de suas luas, criando uma variedade de reações químicas complexas possíveis, dizem os cientistas.) 

A foto JunoCam, que tem uma resolução de cerca de 0,6 milhas (1 km) por pixel, foi capturada usando o filtro verde do instrumento. A imagem é em preto e branco, mas a equipe da missão será capaz de criar um retrato colorido assim que as versões tiradas com os filtros vermelho e azul da JunoCam forem desativados, disseram funcionários da NASA.

A segunda foto é cortesia da Stellar Reference Unit, uma câmera em preto e branco que Juno usa para navegação. Esta imagem, que apresenta uma resolução de 0,37 milhas a 0,56 milhas (0,6 a 0,9 km) por pixel, mostra o lado de Ganimedes oposto ao sol, que é fracamente iluminado pela luz refletida em Júpiter. 

“As condições em que coletamos a imagem do lado escuro de Ganimedes eram ideais para uma câmera de pouca luz como nossa Unidade de Referência Estelar”, disse Heidi Becker, chefe de monitoramento de radiação de Juno no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA no sul da Califórnia, em um comunicado . 

“Portanto, esta é uma parte diferente da superfície do que a vista pela JunoCam sob a luz direta do sol”, disse Becker. “Será divertido ver o que as duas equipes podem juntar.”

Juno foi lançado em agosto de 2011 e chegou a Júpiter em julho de 2016. A sonda movida a energia solar está estudando a composição, a estrutura interior e os campos magnéticos e gravitacionais de Júpiter, coletando dados que devem ajudar os cientistas a entender melhor como Júpiter e nosso sistema solar se formaram e evoluíram.

Juno ocasionalmente volta seus olhos afiados para outros objetos no sistema jupiteriano – como o Ganimedes de 3.273 milhas de largura (5.268 km). As observações feitas durante o sobrevoo de segunda-feira podem revelar informações importantes sobre a composição da lua, a camada de gelo e o ambiente de radiação, entre outras características, disseram funcionários da NASA.

Esses dados podem ajudar a informar e orientar futuras missões ao sistema de Júpiter, incluindo a nave espacial Jupiter Icy Moons Explorer (JUICE), que está programada para ser lançada em 2022 para estudar Ganimedes e outras luas galileanas Europa e Calisto de perto.

Em tempos de coronavírus, o Portal Folha de Florianópolis, continua produzindo diariamente informação responsável. Edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido uma verdadeira dedicação. Colabore com o Portal Folha de Florianópolis, fazendo uma Doação de qualquer valor. Dados para doação é (Banco do Brasil – Agência 1453-2, Conta-poupança 23.516-4, Variação 51).