O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou nesta segunda-feira, 9 de agosto, a 65ª edição do boletim semanal Covid-19 em SC. Intitulado Tendência de queda de casos e de óbitos continuou na primeira semana de agosto/21, o trabalho foi assinado por Lauro Mattei, coordenador-geral do Necat e professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais e do Programa de Pós-Graduação em Administração.

Na semana em análise (31 de julho a 6 de agosto), Santa Catarina registrou 8.488 novos casos e 189 óbitos – uma média de 1.355 contaminações e 27 mortes por dia. Os indicadores demonstram a continuidade da gravidade da pandemia. “Mesmo que a última matriz de risco divulgada pelo governo estadual tenha mostrado que o controle da pandemia no estado sofreu uma melhora considerável na última semana, o patamar ainda elevado desses dois indicadores (novos casos e novos óbitos), bem como o número ainda elevado de casos ativos (+ de 12 mil), revela que o nível de contágio da população catarinense ainda permanece em ritmo acelerado, configurando uma situação grave”, destaca o artigo.

Apesar de a média semanal móvel de óbitos ter diminuído 7% nos últimos 14 dias, configurando uma condição de estabilidade, ainda está em um patamar elevado em comparação àquele verificado após o final do surto ocorrido em julho e agosto de 2020, quando eram registradas menos de 10 mortes por dia. Já a média móvel de casos apresentou uma redução de 16% em relação à semana anterior e de 21% em relação aos últimos 14 dias, caracterizando uma tendência de queda. “Mesmo assim, o patamar de 1.355 novos casos diários ainda pode ser considerado crítico, uma vez que o melhor comportamento desse indicador após o primeiro surto da pandemia foi verificado no mês de setembro de 2020, quando essa média ficou ao redor de 900 casos diários”, aponta o estudo.