Em conversa com jornalistas, Rodrigo Cruz detalhou o processo de distribuição de vacinas Covid-19.

capa033.jpg
Rodrigo Cruz

“Nós não temos vacinas atrasadas”. Essa foi a resposta do secretário executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, ao ser questionado por jornalistas, nesta sexta-feira (13), sobre a entrega de doses de vacina Covid-19 aos estados e ao Distrito Federal. Até o momento, mais de 197 milhões de doses foram distribuídas pela Pasta às unidades da federação.

Ao explicar os procedimentos adotados, Rodrigo destacou que há um fluxo complexo a ser cumprido desde o recebimento das vacinas até a entrega aos estados. O caminho se faz necessário por um motivo: garantir o máximo de qualidade das doses que serão aplicadas nos braços dos brasileiros.

“A nossa preocupação é que a vacina tenha qualidade. E esses processos têm de ser respeitados. O que a gente tem trabalhado hoje é, além de buscar novas doses de vacina, conseguir reduzir esse prazo para que as entregas sejam feitas o mais rápido possível”, destacou Rodrigo.

Segundo ele, quando as vacinas são importadas e chegam ao Brasil, são necessárias informações dos laboratórios, que têm demorado a enviar ao Ministério. Em alguns casos, esses dados ficam prejudicados por conta de um erro na leitura do dispositivo que mede a temperatura da vacina ao longo de todo o transporte das doses.

Com os dados em mãos, o Ministério da Saúde protocola a solicitação de liberação junto aos órgãos reguladores que, de acordo com o secretário, têm sido muito ágeis nas análises. Depois de liberadas, em 24 horas as doses são enviadas aos estados e o DF e, em até 48 horas, ficam à disposição dos entes federados para envio aos municípios.

“Esse é um compromisso do Ministério da Saúde para reforçar a mensagem de que não existe dose parada no centro de distribuição. O Ministério trabalha, trabalha firme, de segunda a segunda, para que a gente possa fazer com que as vacinas cheguem de forma mais rápida ao braço do brasileiro”, contou o secretário.

Campanha de Vacinação contra a Covid-19

Com mais de 197 milhões de doses de vacina distribuídas para todo o Brasil, 160 milhões foram aplicadas. Dessas, 111,8 milhões de brasileiros receberam a primeira dose da vacina e 48,1 milhões receberam a segunda dose ou dose única.