O Conselho Superior (Consup) do IFSC autorizou, em reunião extraordinária, o acionamento da Fase 3 da Política de Segurança Sanitária (PSS) da instituição. Essa autorização, contudo, não significa que os câmpus que se enquadrarem nos requisitos terão automaticamente acionado a Fase 3. A decisão pelo acionamento ou não da fase cabe aos colegiados de cada câmpus, com os comitês locais de contingência.

A PSS prevê que, na Fase 3, até 50% da comunidade acadêmica poderá retornar às atividades acadêmicas e administrativas presenciais. Na Fase 3 são permitidas atividades presenciais, em ordem de prioridade, para estudantes formandos para aulas de laboratório e realização de experimentos para a conclusão de Projetos Integradores e TCC; retorno integral de aulas de laboratório com escalonamento de dias e horários; estudantes de cursos EJA-EPT; outros grupos de estudantes considerados prioritários pelo câmpus; disponibilização de laboratórios de informática a estudantes sem acesso às atividades não presenciais.

Para optar pelo acionamento da Fase 3, o câmpus deverá cumprir os requisitos: (1) verificação de Risco Potencial Alto por pelo menos 21 dias consecutivos na região de saúde em que se encontra o câmpus (com base no mapa de risco divulgado pelo Governo de Santa Catarina) ou conclusão do cronograma vacinal dos profissionais da educação em Santa Catarina; (2) dimensionamento do número de servidores e setores que necessitam trabalhar presencialmente para acionamento da fase; (3) mapeamento de espaços a serem utilizados, de horários e fluxos de atividades para acionamento da Fase 3; (4) análise dos relatórios de acompanhamento da implantação da Fase 2; e (5) autorização do Consup para acionamento da Fase 3, a partir de relatório do Comitê Técnico-Científico (CTC). Veja os detalhes de cada fase.

Sobre a Política de Segurança Sanitária

A Política de Segurança Sanitária do IFSC para a Covid-19 (PSS) é o documento que sistematiza as medidas a serem adotadas para o retorno gradual e seguro das atividades acadêmicas e administrativas presenciais no IFSC, no contexto da pandemia. Essa retomada é organizada em seis fases – sendo a fase zero aquela na qual não há atividades presenciais de qualquer natureza, e a 5, a futura etapa de retomada total de atividades acadêmicas e administrativas presenciais.

A autorização para avanço de fases é dada pelo Conselho Superior da instituição, a partir de orientação expressa pelo Comitê Técnico-Científico. Após a autorização pelo Consup, cada câmpus fará uma análise individual de sua situação para definir se iniciará ou não aquela fase e, caso inicie, quem poderá retornar presencialmente.