O Hospital Universitário Professor Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago realizou, na manhã de quarta-feira, 29 de setembro, pela primeira vez em Santa Catarina, um procedimento para tratamento de Hipertensão Pulmonar Tromboembólica Crônica através da angioplastia por balão. A técnica foi realizada num paciente de 51 anos de Florianópolis.

A hipertensão pulmonar tromboembólica crónica (HPTEC) ocorre quando são formados trombos que obstruem as artérias pulmonares. A consequência é um aumento da resistência vascular pulmonar, resultando em hipertensão pulmonar e insuficiência cardíaca direita progressiva. A angioplastia por balão é uma técnica recente, usada para pacientes que não podem ser operados ou que têm hipertensão pulmonar residual pós-cirurgia. Na prática, o objetivo é dilatar as artérias do pulmão.

De acordo com o coordenador do Centro de Referência em Hipertensão Pulmonar do HU, Roger Pirath Rodrigues, a técnica facilita a assistência dos pacientes atendidos no ambulatório que necessitavam encaminhamento para outros estados, com atraso no tratamento. “O número crescente de casos em nosso ambulatório foi o gatilho para que buscássemos realizar todo o tratamento aqui em nosso centro, facilitando o acesso dos pacientes. Hoje apenas aqueles que necessitam de cirurgia de grande porte serão encaminhados para os estados de São Paulo e Rio Grande do Sul”, explicou.

Segundo ele, além do ganho no acesso ao serviço do Sistema Único de Saúde (SUS) em Santa Catarina, a realização do procedimento no HU traz como benefício a formação de profissionais qualificados para a utilização desta técnica de alta complexidade.

O procedimento contou com a presença do médico do Hospital Universitário Professor Edgard Santos (Hupes/Ebserh), da Universidade Federal da Bahia, Fabio Solano, pioneiro da técnica no Brasil. “Ficamos contentes em dividir nossa experiência com outros colegas e centros de referência no país e Florianópolis pode agora contar com esta nova modalidade de tratamento”, disse o especialista.

De acordo com o médico hemodinamicista do HU, Roberto Leo da Silva, o procedimento é realizado através de cateterismo da artéria pulmonar e desobstrução desta com o cateter balão, reduzindo a pressão e melhorando o fluxo de sangue para o pulmão. “É um procedimento de alta complexidade, mas hoje no HU temos equipe técnica e experiência para realizá-lo localmente”, afirmou.

Também participou do procedimento o médico hemodinamicista do HU Rodrigo Joaquim. Acompanharam o procedimento, além de Roger Pirath Rodrigues; o chefe do Setor de Hemodinâmica do HU, Gilberto Galego; a pneumologista do Centro de Referência do HU, Luiza Pagani Fonseca, e a médica residente do Serviço de Pneumologia Camila Miguel Blanco