Verso com meu interior,
E ele me diz com sua voz:
– SEJA A LUZ!
Sim, mesmo na loucura que é a vida.

Demostro o quanto quero,
Aos poucos mudar tantas coisas,
Dos quais não são bons,
Nem necessário a minha poesia.

Quem sabe de tudo,
Existente em mim,
Não sou EU!
Mas, o meu criador.

Um poeta em palavras,
Verdadeiramente sublime.
A natureza a encantar,
Com sua maestria.