Capítulo 9: O FIM DE UM TEMPO

 

FIM DOS TEMPOS

 

O portal se abriu quando Sibila conjurou o feitiço de retorno: Revertetur in mysterium, quod portal (Retorne em seu mistério, o portal). Então, o fresco foi dado para Juan Pablo derrama-lo na ferida de Enzo. Ao soltar o ombro, o caçador caiu no chão cheio de folhas secas, e foi nesse momento que, Ayala o segurou por trás, enquanto o sangue era inserido no local da mordida.

 

Os outros caçadores estavam em uma espécie de transe, um efeito que Clarice provocava com o olhar e sua beleza. Não se moviam. De joelhos ainda continuavam,  Clarice voltou ao seu modo original, e os expulsou de perto do filho, se agarrando ao seu corpo, no momento em que o negro do portal sugava todas as coisas, incluindo os caçadores.  A ventania era muito mais forte do que da sua abertura.

 

Ayala:-Meu amor! – Ayala estava muito assustada.

Juan Pablo:-O que foi?

Ayala:-Tem que acabar assim?

Juan Pablo:-É o único jeito.

 

Os dois, mãe e filho, foram sugados para o mundo paralelo, e com isso, ele explodiu no espaço de fora para dentro, se fechando para sempre. Quando deram conta, seus companheiros, e até mesmo o irmão de Juan, havia desaparecido. Os corpos tinham sido levados para o interior, aprisionados nesse mundo de sucessões de dor e angústia, mas, acreditavam estarem espiritualmente feliz.

 

AO FIM DE TUDO…

 

Quando o pesadelo findou, os três se abraçaram. Então, Sibila se afastou, deixando Juan e Ayala a sós. Eles precisavam disso, mas do que ela.

 

Ayala:-Que bom que tudo terminou.

 

Juan Pablo, com as duas mãos no rosto de Ayala, não quis saber de nada, e inclinou a cabeça para que seus lábios tocassem nos dela. Após, o pedido esperado veio.

 

Juan Pablo:-Ayala, casa-se comigo?

Ayala:-Claro sim!

 

Os dois se entrelaçam num longo abraço interminável.

Uma vida iria começar para os três. Juan Pablo e Ayala, seriam felizes como um casal épico.

Leia também: Com sol e calor levou os praianos a praia do santinho no norte da Ilha de Santa Catarina em Florianópolis